Conheci o ReCare na fase crítica da pandemia da COVID-19, em um momento que víamos os pacientes saindo da UTI com sequelas graves decorrentes do imobilismo prolongado e da fraqueza muscular adquirida. Para prevenir essas complicações iniciávamos a reabilitação o mais precoce possível, mas necessitávamos de dois até três aparelhos  de quatro canais e tínhamos o desafio de fazer todos os canais funcionarem de forma sincronizada, alternando agonista e antagonista. Não era uma missão fácil!

O ReCare facilitou muito à aplicação, pois possui 12 canais independentes sendo possível estimular vários grupos musculares com um único aparelho, otimizando muito o tempo de atendimento, possibilitando a assistência a mais pacientes.

Outro ponto importante é a possibilidade de fazer o teste de eletrodiagnóstico, que além de ajudar na determinação dos parâmetros a serem ajustados, também facilita a avaliação dos grupos musculares na pré-estimulação e acompanhar a evolução com o tratamento. Sem dúvida o ReCare mudou a forma como realizo a Estimulação Elétrica Neuromuscular tanto na UTI quanto nos atendimentos domiciliares com o uso do ReCare Portátil